O portal de quem fala português
Busca inteligente no site
Dicas
de Busca
Língua Portuguesa
Dicionário de Dificuldades da Língua PortuguesaSimuladosProvas ComentadasTudo Sobre...Texto da SemanaOficina de RedaçãoClube de Análise SintáticaVícios de LinguagemBanco de QuestõesConjugador VerbalInterpretação de TextosDicionários
Literatura
Resumos Literários Dicionário de Literatura Seu Espaço Literário Do Quinhentismo ao Modernismo Agenda Histórico-Literária
Diversão
Solte o riso... Letras de músicas
 
Vida e Obra de Mavignier de Castro

MAVIGNIER DE CASTRO

Cearense de Maranguape

Mavignier de Castro nasceu em Maranguape, Ceará, em 1891. Fez os primeiros estudos em Belém e dali, aos nove anos de idade, em companhia de uma tia, seguiu para a França.

Juventude na Europa

Mavignier passou a adolescência e  parte da juventude na Europa, absorvendo conhecimentos. Em Paris, concluiu o curso de Ciências e Letras.

Volta ao Brasil

Seu regresso ao Brasil realizou-se em 1913, aos 22 anos de idade, fazendo opção por residir em Manaus.

 Casamento aos 31 anos

Aos 31 anos (1922), casou-se com Vicência Araújo de Castro. Totalmente integrado aos usos e costumes da terra amazônica, considerava-se um homem amazônico, usando a sua arma mais poderosa, o jornalismo, para a defesa de causas da região.

Redator da Câmara Municipal

Secretariou o Jornal do Comércio (Amazonas) e foi redator dos debates da Câmara Municipal de Manaus. Foi também, por muitos anos, professor de francês na Escola de Comércio Sólon de Lucena.

Promotor e Prefeito

Por mais de dez anos, foi promotor público em várias cidades do interior do Amazonas (Eirunepé, Tefé e Manacapuru). Foi também Prefeito na cidade de Moura.

Ensaios de temática amazônica

Principalmente nos ensaios, Mavignier abordava e defendia as riquezas naturais da Região Amazônica, demonstrando um grande cabedal cultural absorvido na Europa. Usava, para produção de textos, uma linguagem culta, com sinais exagerados de erudição, tirando do leitor médio a oportunidade de compreendê-lo na íntegra.

Poesia familiar e sacra

Na atividade poética, Mavignier empresta a sua sensibilidade aguçada para retratar a vida familiar, a música e o lado espiritual. Os poemas de teor sacro mais parecem preces para cerimônia religiosa.

Não faltou, porém, ao poeta inspiração amazônica, produzindo sonetos de intensa beleza plástica em que a magia da terra faz par com a perfeição parnasiana que lhe era peculiar.

Membro da

Academia Amazonense de Letras

Graças à atividade intelectual, a literatura à frente, foi eleito para a Academia Amazonense de Letras e para o Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas. Foi também sócio correspondente da Academia de Letras do Ceará.

Morte aos 79 anos

Mavignier faleceu em 1970, aos 79 anos de idade.

Obras publicadas

- Síntese Histórica e Sentimental da Evolução de Manaus.

- O Momento e o nosso dever militar.

- Amazonas Panteísta.

- Luar Amazônico (poesias e crônicas  -  publicação póstuma).

Anterior Próximo
Dados Técnicos da Obra
 
Usuário conectado
Loja
LINGUATIVA – O Portal de quem fala português
© Copyright 2000–2018 – Linguativa Ltda. – Todos os direitos reservados